O SILÊNCIO DO CORETO, por Manoel da Conceição Santos.

    O coreto há muito tempo se sente meio solitário, poucos percebem a sua presença alguns se aproximam, mas quase não compreendem a sua importância. A cidade passa por ele num leve bailar, com seus automóveis, motos, bicicletas e animais, em passos rápidos e lentos, e ele continua parado observando á todos por muito tempo. Está meio desgastado perdeu cores e até pedaços. Foi reformado superficialmente, mas o seu coração continua o mesmo. Lembra-se de quando a liras ou filarmônica fazia sucesso no centro de seu ser. Sente saudade da época em que era o palco mais importante da cidade. Todos saiam para ouvir a música que ecoava dos instrumentos que se harmonizavam de forma divina, esta era a sua voz. Hoje a cidade mudou e as pessoas não têm mais tempo talvez falte sensibilidade em meio a tantas tecnologias e os meios de comunicação de massa como a tv , o rádio, o computador, que mudaram o ritmo de toda cidade, afastando as pessoas da rua e até daqueles que dividem o mesmo sofá na mesma sala. E agora ao invés da lira, gritam-se carros de sons de última geração, que agridem os ouvidos e até a alma do povo e do “Coreto”.
O Coreto - Símbolo,representação histórica do Município
Autor: Manoel da Conceição Santos (Nezinho)
Conceição do Almeida  - BAHIA. BRASIL década de 70.
Compartilhar no Google Plus

Por: Fala Recôncavo!

    Comentar no site
    Comentar no Facebook

1 comentários:

O PORTAL FALA RECÔNCAVO NÃO SE RESPONSABILIZA POR OPINIÕES EMITIDAS POR TERCEIROS NESTE ESPAÇO, MAS INFORMA QUE COMENTÁRIOS OFENSIVOS QUE EXPONHA PESSOAS,ENTIDADES OU EMPRESAS SERÃO EXCLUÍDOS

* OS COMENTÁRIOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DESTE BLOG,OS MESMOS DEVERÃO SER IDENTIFICADOS PARA SEREM ACEITOS, SEJA QUAL FOR O SEU TEOR.