CACHOEIRA VAI COMEMORAR 176 ANOS COM GRANDES ATRAÇÕES COMO HARMONIA DO SAMBA, FILHOS DE JORGE E JAU.

     No próximo dia 13 de março, a cidade de Cachoeira completará 175 anos. Para celebrar a data a prefeitura municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo do município preparou uma vasta programação com shows com Harmonia do Samba, Filhos de Jorge, Jau, Seu Maxixe dentre outras, Solenidade Cívica na Câmara de Vereadores, além de Atividades Esportivos durante as comemorações.

CIDADE HISTÓRICA:

    A cidade é famosa pelo seu rico patrimônio histórico, artístico, cultural e paisagístico. A cultura e a religiosidade de seu povo também fazem de Cachoeira um local de destaque no cenário nacional. A Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte composta exclusivamente por mulheres negras é conhecida no mundo inteiro pelas suas características peculiares e como símbolo de resistência do povo negro. São famosas também as suas festas do São João, em junho, e a de Nossa Senhora da Ajuda no mês de novembro. O samba de roda é uma marca da cultura popular da cidade com os seus diversos grupos mantendo a tradição nascida nos terreiros das casas de engenho. Cidade de herois, intelectuais e de grandes artistas, a exemplo de seus escultores.
   Cachoeira nasceu às margens do Rio Paraguaçu, no século XVI, quando os engenhos de cana de açúcar começaram a ser instalados na região do Recôncavo. Antes da colonização, era habitada por tribos indígenas. Seu desenvolvimento teve início a partir da primeira metade do século XVII. Esta evolução está vinculada aos colonizadores Paulo Dias Adorno e Rodrigues Martins, donos da terra em que fora assentada a povoação que deu origem a cidade. O entorno da atual capela de Nossa Senhora d’Ajuda, construída no engenho da família Adorno, sob invocação de Nossa Senhora do Rosário, é considerado o marco inicial da povoação, que em 1674 foi convertida em freguesia. Em 1698, a então freguesia alcança a categoria de vila com denominação de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira. Com a expansão da economia açucareira e da atividade comercial, a vila prosperou principalmente nos séculos XVII e XVIII, quando se construíram belas casas, igrejas e conventos, valiosas peças da arquitetura da influência barroca.
   A cidade Heroica e Monumento Nacional mantém - se como um museu, testemunho vivo da história de uma grande nação. A paisagem natural é exuberante. A arquitetura é histórica, eclética e majestosa. A sua população retrata diversas contribuições culturais de várias épocas, do colonial ao contemporâneo, passando pelas influências dos povos do continente africano que se destacam em inúmeros aspectos. Graças à sua localização privilegiada, na fronteira entre as regiões do Recôncavo e Sertão, atingiu expressiva prosperidade. Para ela, convergiam duas importantes vias: A Estrada Real do Gado, que atingia a zona de criação de gado e as barrancas do rio São Francisco, e a estrada das Minas, partindo da vizinha São Félix se dirigiam à Chapada Diamantina, Minas e Goiás. Como ponto de transbordo das vias fluvial e terrestre transformou-se em empório de uma vasta região. Durante o século XVIII, experimentou grande desenvolvimento, quando era alto o preço do açúcar e abundante o ouro do Rio de Contas. Já consolidada como vila de maior importância da Província, Cachoeira projetou-se também na história política do Brasil, pelas lutas da Independência da Bahia, em 1822. Antes da consolidação da Independência da Bahia, o povo da Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira do Paraguaçu, levantou-se contra jugo português, e no dia 25 de Junho de 1822 declara-se território livre do Portugal, aclamando Dom Pedro, Príncipe Perpétuo Regente do Brasil.
    Em 13 de março de 1837, por meio de decreto provincial, Cachoeira foi elevada à categoria de cidade com a denominação de Heróica Cidade da Cachoeira - Lei Nº. 43, assinada pelo então presidente da Província da Bahia, Francisco de Souza Paraízo. Pelo seu conjunto arquitetônico e paisagístico, recebeu o título de Monumento Nacional, através do Decreto Presidencial N°. 68.045 de 18 de janeiro de 1971.

PROGRAMAÇÃO – ANIVERSÁRIO DE CACHOEIRA

DIA 09/03/2013 ( SÁBADO )
19H – SAMBA DA VIDA
21H – BROTOU SAMBA
23H – FILHOS DE JORGE
01H – JAU


DIA 10/03/2013 ( DOMINGO )
16H – SAMBA DE RODA FILHOS DO CAQUENDE
18H – SAMBA DA ESMOLA CANTADA
20H – SAMBA DE RODA DE DONA DALVA
22H – SEU MAXIXE
00H – HARMONIA DO SAMBA

DIA 13/03/2013 ( QUARTA-FEIRA ) - DIA DO ANIVERSÁRIO
SOLENIDADE CÍVICA NA CÂMARA DE VEREADORES
REABERTURA DO CAMPO DA MANGA
ATIVIDADES ESPORTIVAS
Compartilhar no Google Plus

Por: Fala Recôncavo!

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

O PORTAL FALA RECÔNCAVO NÃO SE RESPONSABILIZA POR OPINIÕES EMITIDAS POR TERCEIROS NESTE ESPAÇO, MAS INFORMA QUE COMENTÁRIOS OFENSIVOS QUE EXPONHA PESSOAS,ENTIDADES OU EMPRESAS SERÃO EXCLUÍDOS

* OS COMENTÁRIOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DESTE BLOG,OS MESMOS DEVERÃO SER IDENTIFICADOS PARA SEREM ACEITOS, SEJA QUAL FOR O SEU TEOR.